Dia da Vovó


Hoje é o dia da vovó! Para prestar minha homenagem a doce figura representativa da infância, trago Dona Benta que durante muito tempo foi o referencial de avó para todos nós brasileiros. 
Hoje existem vovós de todos os jeitos e há quem diga que pode viver sem a mãe, mas sem uma avó... Impossível. Explico: nas comunidades do Rio de Janeiro, é muito comum a avó ser a responsável pelas crianças. 
Voltando a grande contadora de histórias Dona Benta, era ela que introduzia as crianças no mundo da leitura. Mandava preparar verdadeiros banquetes e tornava, com isso, os sonhos ainda mais criativos. 
Mais uma vez lembro da minha infância em que eu adorava a Cuca e ganhei de presente a coleção completa de O Sítio do Picapau Amarelo, que segundo minha mãe, só poderia ler a partir dos 12 anos. Engraçado, né? Pois a coleção amarelinha ficava bem guardada no meu armário e nunca cheguei a ler tudo. 
Quando comecei a dar aulas, consegui desenvolver durante um ano um projeto de leitura, que previa dentre outras coisas, a leitura diária de um capítulo da série. Não é que todos prestavam muita atenção? E nem havia apelo de imagens ou de qualquer outra mídia. Era a leitura pura e simples. Funcionava! Hábito da roça bom demais, que lembra minha avó sentada até hoje na varanda de casa contando suas histórias para quem quiser ouvir. Parabéns vovó!

Nenhum comentário:

Postar um comentário